William Mendonça
POESIA, PROSA, MÚSICA E TEATRO
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Meu Diário
10/05/2012 15h05
SEMANÁRIO MENSAL QUE SAI UMA VEZ POR ANO

Como diria meu saudoso amigo Mário Pitanga, este "meu diário" aqui no site está mais para "semanário mensal que sai uma vez por ano".  A piada era feita sobre os jornais do interior que, devido a falta de patrocinadores, de profissionais ou por perseguições políticas, ficavam com a circulação irregular.

Desde fevereiro não escrevo nada por aqui, não que não tenha acontecido nada de relevante, mas porque fiquei atolado com outros afazeres.

Entre os fatos relevantes, muitos deles bem tristes, que ocorreram nesse tempo, vale lembrar, especialmente, o falecimento do ex-vereador de Itaboraí e Tanguá Aurino Lima, em fevereiro, e o falecimento, pouco tempo depois, do jornalista Mário Pitanga, ex-diretor dos jornais O ALERTA (o primeiro a ser sediado em Tanguá, ainda nos tempos da Usina, e depois transferido para Itaboraí) e REAÇÃO.

O interessante é que minha história como jornalista cruzou com essas duas figuras. Mário Pitanga, como cito no texto "Mais um amigo que se vai", foi um dos grandes mestres que tive na profissão. Através de sua influência, transferi minha vida profissional para Itaboraí, em 1990. Trabalhei com ele e tive a honra de ser seu amigo até os últimos dias.

Já com Aurino tive uma insólita parceria jornalística em fins dos anos 90, com o jornal ALTERNATIVO - criado por ele, que mesclava um senso de humor ferino e a crítica política sobre a cidade de Tanguá, recém-emancipada. Pode-se dizer que era um jornal "violento", que denunciava sem medo. Bem ao estilo de Aurino no plenário. O filho da cidade de Cortês, em Pernambuco, acabou fazendo uma carreira política marcante em Itaboraí e Tanguá, participou ativamente dos dois processos de emancipação de Tanguá e deixou saudades.

Figuras polêmicas, sem dúvida, mas só os polêmicos mudam o mundo.

Publicado por William Mendonça
em 10/05/2012 às 15h05
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
21/01/2012 23h40
14 VERSOS - novo livro para download gratuito no site

Para começar 2012 com o pé direito, o site www.williammendonca.com.br publica o seu décimo e-book, para download gratuito: 14 VERSOS, o segundo livro de sonetos de William Mendonça, "uma coletânea de sonetos absolutamente emocional - feita pelo autor com base no carinho que sente por cada soneto, não pelo apuro técnico ou atualidade." O próprio autor destaca que fazem parte da coletânea "sonetos imperfeitos da primeira hora, decassílabos de gaita galega, sonetos à moda inglesa, sonetos experimentais ..."

Vários dos sonetos já foram publicados, individualmente, aqui no site, ao longo dos cinco anos de atividade, mas a maioria ainda permanecia inédita - inclusive, os cinco sonetos de "Concerto para o apocalipse", escritos em abril de 1985, o marco inicial da produção poética de William Mendonça. É só clicar e desfrutar.
Publicado por William Mendonça
em 21/01/2012 às 23h40
Copyright © 2012. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
19/10/2011 14h00
NA HORA DE DORMIR: PEÇA INFANTIL INÉDITA PARA DOWNLOAD

O livro do mês de outubro, o mês das crianças, no site www.williammendonca.com é A peça infantil NA HORA DE DORMIR. É um texto escrito há mais de dez anos, e surgiu da observação dos filhos do autor, que sempre conversaram e contaram histórias mirabolantes, retardando a chegada do sono na hora de dormir. Os fatos do dia-adia,
os filmes que viam, um livro, uma música, tudo era motivo para mais uma animada conversa entre as crianças.

William Mendonça, com a peça, quis dar a dois atores a experiência de viver novamente a infância - duas crianças, com um baú cheio de coisas legais, encenando e vivendo
as histórias que contam, enquanto divertem o público. Para cada ator, vários personagens, a partir das crianças Bóris e Tatiana. A escolha das cenas não foi aleatória - Peter Pan, clássico de J. M. Barrie, levado ao cinema várias vezes, é um texto sobre o fim da infância, assim como Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll, e Copélia é uma história imortalizada pelo balé. 

O download de NA HORA DE DORMIR é gratuito e o autor permite a reprodução da peça, desde que citada a fonte e preservada a autoria. Para os interessados em encenar o texto, pede-se o contato pelo e-mail will_mendonca@yahoo.com.br.

Publicado por William Mendonça
em 19/10/2011 às 14h00
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
30/09/2011 18h00
PEÇA INÉDITA PARA DOWNLOAD: DR. TEMPESTADE

Depois de uma semana de problemas com o acesso à internet - digamos que a chegada da Velox à minha casa está sendo meio traumática - uso a velha internet discada para publicar o e-book do mês de setembro.

A peça teatral "DR. TEMPESTADE" é uma comédia que mistura humor negro com ficção científica e faz uma homenagem a Júlio Verne, com a figura de um cientista louco que inventa uma máquina do clima para obrigar o mundo a chegar à paz. Quem leu a obra do mestre francês, pioneiro da ficção científica, vai reconhecer as influências.

A peça é baseada em um conto, também chamado Dr. Tempestade, que está sendo publicado ao mesmo tempo no site. Vale lembrar que o download deste e de outros livros é inteiramente gratuito e que a peça ainda está inédita. Contatos para possíveis montagens podem ser feitos diretamente pelo site.

Publicado por William Mendonça
em 30/09/2011 às 18h00
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
12/09/2011 12h00
APAGANDO A VELINHAS

Pois é, hoje estou feliz, feliz! Meu site tá fazendo hoje cinco anos de atividade. Poesia, prosa, música e teatro no ar - é minha forma de resistência cultural. Escrevo e publico o que dá na telha, ninguém me censura, ninguém paga nada, nem pra baixar meus livros ... Não preciso de nada mais que isso.
Parece um pouco de marra, eu sei, mas não é o caso. Só que depois de fazer jornal por aí por mais de duas décadas, sempre escrevendo e trabalhando para outras pessoas, e depois de seis anos no Banco do Brasil, contando o dinheiro dos outros, aprendi muito bem o valor da liberdade - as escolhas que a gente faz, as coisas que diz, os amigos que encontra - muitos a gente cativa, outros acabam perdidos pela vida.
Liberdade pra mim é saber que quem lê o que publico no meu site pode ou não gostar do que eu escrevo, pode até ficar indiferente, pode questionar o motivo estranho que levou um escritor tão canhestro a achar que pode publicar ... Mas a pessoa terá o direito de ler o que eu escrevo, se quiser. Se eu ficar engavetado, procurando uma editora qualquer pra publicar livrinhos sabe-se lá deus quando, ninguém vai conhecer o bom e velho William Mendonça, nem mesmo pra criticar.
Em 2006, quando decidi para com os blogs e criar o site, queria um espaço em que qualquer pessoa pudesse achar este cara que vos fala. Depois, se quiser virar a página e nunca mais aparecer por aqui, vou ficar triste, mas não vou espernear. Mas, por experiência própria, sei que muita gente volta, comenta, pede mais textos, e isso é o melhor de tudo.
Assim, meus filhos, aqueles fãs que eu mesmo fabriquei, com a ajuda inestimável de minha musa Virginia, podem dizer quando alguém pergunta o que o pai faz: "ele é artista!" Tem coisa melhor que isso?

Publicado por William Mendonça
em 12/09/2011 às 12h00
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Página 3 de 17
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 »
Efuturo: Selo Escritor