William Mendonça
POESIA, PROSA, MÚSICA E TEATRO
Capa Meu Diário Textos Áudios E-books Fotos Perfil Prêmios Livro de Visitas Contato Links
Textos
ABSINTO

Não adianta procurar um copo
Que guarde teu gosto
Que beije minha boca
Com jeito de lua.

Estes bares não te conhecem
Sabem apenas o que digo
Sabem a música inútil
Quando o choro vem.

Nem adianta esbravejar nas praças
Cortar a noite calada
Cortar teu sono eterno
Se não tenho vida.

Estas ruas não viram chover
Não viram teu corpo molhado
Não beijaram teus pés
Não nos viveram.

Vês estes carros que seguem, seguem
Sem saber que existo
Sem lembrar o que fomos?
- Perdoa, amor, eles não podem
Nos entender ...

(Todos os direitos reservados.)

William Mendonça
Enviado por William Mendonça em 13/10/2009
Comentários
Efuturo: Selo Escritor