William Mendonça
POESIA, PROSA, MÚSICA E TEATRO
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos

VAMPIRISMO

A poesia me consome
inesgotavelmente,
egoísta como a úlcera
que vampiriza o corpo
para sobreviver,
traiçoeira como o câncer
que degenera os tecidos
e só se mostra
quando já é muito tarde
... me faz andar em círculos
na minha própria falta de
sentido.


(1990. Direitos reservados.)
William Mendonça
Enviado por William Mendonça em 09/09/2011
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários